Citycom 200i

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Citycom 200i

Mensagem por casilveira em Qua Jul 08, 2015 2:55 pm

08 de junho de 2015

Como escrevi em meu último post, eu usei uma Citycom 200i para ir para o trabalho depois de deixar minha Maxsym para orçamento e vistoria da seguradora.

Ai meu Jesus Cristinho.... Que porcaria é essa????

Pensei comigo, como a SYM pode fazer uma boa scooter como a Citycom 300i  e depois a Maxsym 400i e depois lançar essa coisa chamada de Citycom 200i?

Bom, fui atrás e descobri o seguinte, essa "coisa" não é SYM, aliás, nem passa perto de Taiwan o processo de fabricação, trata-se de um projeto super barato da italiana Garelli, aGarelli XÓ 200i.

Como sempre a DAFRA faz mais uma bobagem colocando no mesmo balaio motos boas como as da SYM e essa "coisa".

Começamos pelo motor, ele é i, mas um "i" muito minúsculo, pois apesar de ser injeção direta ele não tem nenhuma sonda lambida analisando combustível e performance para calibrar ar e gasolina de acordo com a situação. Uma regulagem única faz que se usada em altitudes diferentes ela se comporte de forma diferente, por exemplo.

Outra coisa que notei foi a arrancada se produzir somente à partir de 3500/4000 giros, um absurdo para quem pretende ter uma moto econômica.


Essa aí de cima é a Garelli XÓ 200i italiana.


Essa é a "nossa" Cityclass 200i

Vale lembrar que a scooter italiana foi lançada em 2011 na famosa feira de motos EICMA (Esposizione internazionale del ciclo e motociclo) de Milão por um preço estimado em R$ 5.500,00 e está sendo vendida aqui no Brasil a R$ 9.900,00.

Quero aqui colocar que a opinião é minha, e está baseada em uma scooter de apenas 1000 km rodados usadas para teste drive na concessionária que atende minha Maxsym, assim como é de minha opinião que a SYM deveria rever seu representante no Brasil ou fazer com que a DAFRA respeite sua marca, (coisa que falo a muito tempo) desvinculando-a totalmente de outros "produtos" da montadora brasileira.

A SYM produz uma scooter de excelente qualidade como as Citycom 300i e a Maxsym 400i e não pode ser misturada a outras marcas produzidas ou melhor, montadas pela DAFRA de qualidade duvidosa.


.

casilveira

Data de inscrição : 10/09/2014
Mensagens : 112
Idade : 65

Ver perfil do usuário http://www.sacva.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Domingos em Sex Jul 10, 2015 3:07 pm

Casilveira,
não andei com a Cityclass para dar uma opinião, mas o que me surpreende muito é o preço, bastante elevado...tanto dessa como da Citycom e da Maxsym que tiveram uma elevação de preço absurda !!! E não me venham dizer que foi por conta do dolar......Isso tem , com certeza , influência , mas não tanto ....
Acho que a Dafra está exagerando na dose pois existe muita procura, mas ela pode se dar mal caso a Honda e Yamaha lancem scooters de 300cc no Salão Duas rodas desse ano....
Abcs
avatar
Domingos

Data de inscrição : 27/11/2014
Mensagens : 340
Idade : 64

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por casilveira em Seg Jul 13, 2015 3:04 pm

Amigo Domingos

Tens razão quanto a elevação de preços na Dafra, em menos de um ano foram 10% ou mais na Maxsym que é o "pão quente" da Dafra, a Citycom 300i não deve ficar atrás mas não lembro quanto estava.

.

casilveira

Data de inscrição : 10/09/2014
Mensagens : 112
Idade : 65

Ver perfil do usuário http://www.sacva.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Domingos em Ter Jul 14, 2015 9:20 am

Casilveira,
é isso mesmo....o mercado está em baixa e eles ainda aumento os preços..!!! Absurdo....contramão da lógica...
O Citycom 300i agora custa cerca de 16 mil !!!!
Abcs
avatar
Domingos

Data de inscrição : 27/11/2014
Mensagens : 340
Idade : 64

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Black Thunder em Ter Jul 14, 2015 3:34 pm

Domingos escreveu:Casilveira,
não andei com a Cityclass para dar uma opinião, mas o que me surpreende muito é o preço, bastante elevado...tanto dessa como da Citycom e da Maxsym que tiveram uma elevação de preço absurda !!! E não me venham dizer que foi por conta do dolar......Isso tem , com certeza , influência , mas não tanto ....
Acho que a Dafra está exagerando na dose pois existe muita procura, mas ela pode se dar mal caso a Honda e Yamaha lancem scooters de 300cc no Salão Duas rodas desse ano....
Abcs


Concordo com vc Domingos, e um absurdo, assim que pegamos gosto pelas coisas ......LÁ VEM OS AUMENTOS

ABS

_________________
UM SONHO DE LIBERDADE...A liberdade é o sonho mais antigo do homem, demorou... mas somente milhões de anos depois alguns homens especiais podem ter este dom e privilégio... os Motociclistas!
avatar
Black Thunder

Data de inscrição : 06/03/2015
Mensagens : 466
Idade : 56

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por chrystiano lousado em Ter Jul 21, 2015 1:48 pm

minha filha queia ter uma scooter, melhor comprar uma cityclass ou uma PCX ?
avatar
chrystiano lousado

Data de inscrição : 14/04/2015
Mensagens : 28
Idade : 43

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Domingos em Ter Jul 21, 2015 2:31 pm

Dúvida cruel....As revistas especializadas onde li comparativos das duas , deram o ganho para o PCX, que apesar de ter cilindrada menor anda tanto quanto o Cityclass.
Particularmente, ficaria com o PCX por ter tecnologia mais atual, maior rede de assistencia técnica, ser produto já bem testado etc
A Cityclass é um bom scooter , mais creio que ainda tem de evoluir um pouco.
Se puder ter uma 3a opção , porque não o Citycom 300i?? É bem superior aos dois acima e creio que se encontra um usado em excelente estado pelo preço de um PCX ou Cityclass novo.
Abcs
avatar
Domingos

Data de inscrição : 27/11/2014
Mensagens : 340
Idade : 64

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Black Thunder em Qua Jul 22, 2015 10:11 am

Domingos escreveu:Dúvida cruel....As revistas especializadas onde li comparativos das duas , deram o ganho para o PCX, que apesar de ter cilindrada menor anda tanto quanto o Cityclass.
Particularmente, ficaria com o PCX por ter tecnologia mais atual, maior rede de assistencia técnica, ser produto já bem testado etc
A Cityclass é um bom scooter , mais creio que ainda tem de evoluir um pouco.
Se puder ter uma 3a opção , porque não o Citycom 300i?? É bem superior aos dois acima e creio que se encontra um usado em excelente estado pelo preço de um PCX ou Cityclass novo.
Abcs

Sou da sua opinião Domingos, eu iria para uma City semi nova, tem umas 14 e umas 15 já com preços muito bons, comprei uma para o meu irmão uma City 2015 Branca com CBS e pagamos R$13.800,00 com 3.600 kms, eu com certeza iria pra City, e outra se for pegar uma estrada a City vai melhor ainda.

Abs

_________________
UM SONHO DE LIBERDADE...A liberdade é o sonho mais antigo do homem, demorou... mas somente milhões de anos depois alguns homens especiais podem ter este dom e privilégio... os Motociclistas!
avatar
Black Thunder

Data de inscrição : 06/03/2015
Mensagens : 466
Idade : 56

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Domingos em Qua Jul 22, 2015 4:01 pm

Chrystiano,
Segue uma reportagem que vi hoje sobre o PCX...talvez ajude na decisão.
Abcs

================
Cícero Lima
Os scooters são práticos, econômicos e divertidos no uso urbano. Embora tenha sido projetado para rodar na cidade, esse tipo de veículo é bastante utilizado nos deslocamentos em rodovias e estradas. Para conferir o comportamento do Honda PCX e seu motor de 150cc fora do seu habitat natural encaramos uma viagem de 1.300 km entre São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS). No meio do caminho encontramos muitos trabalhadores e estudantes, gente que têm no veículo de duas rodas a melhor opção para se locomover.

Lançado em maio de 2013, o modelo da Honda atingiu 19.560 mil unidades emplacadas em 2014, deixando para trás o Lead 110 (10.137 unidades), também da Honda, e o Suzuki Burgman 125 (3.837 unidades). Em função de seu motor de maior capacidade e também por ser o campeão de vendas foi o escolhido para essa avaliação.

Desempenho e consumo
O grande atrativo do scooter na cidade é seu câmbio CVT e o torque do motor que, no caso do PCX, atinge 1,41 kgfm a 5.250 rpm. Com isso ele tem a capacidade de saltar à frente dos carros nas saídas de semáforo. Esguio e ágil permite que o piloto se desvencilhe do trânsito urbano com a praticidade do CVT. Nada de embreagem e pedal, só é preciso acelerar.

Mas quem mora em cidades pequenas e precisa se deslocar para os grandes centros, entretanto, é obrigado a circular nas rodovias. Nessa condição o que vale é a potência do veículo para manter velocidades mais altas. O PCX, cuja potência é de 13,6 cv a 8.500 rpm, pode atingir a máxima de 120 km/h – que é o limite das estradas mais modernas do Brasil. Apesar disso, a velocidade de cruzeiro que se mostra mais adequada ao seu motor e a sua ciclística é de 90 km/h.

Se, na cidade, o PCX chega a rodar 35 km/litro, na estrada, onde o ritmo é mais forte, o consumo cai para 30 km/l. Como seu tanque tem capacidade para 5,9 litros, a autonomia é de aproximadamente 180 km – embora a luz indicadora de reserva já acenda após 130 km rodados. Portanto, em caso de viagens mais longas, é aconselhável ficar atento às distâncias entre os postos.

Ciclística
Suas rodas de 14 polegadas (equipadas com pneus 90/90 na dianteira e 100/90 na dianteira) conseguem conviver com ruas esburacadas, mas elas devem ser evitadas. Isso por conta do sistema de suspensão bichoque, na traseira. Com curso de 85 mm, infelizmente, não convive bem com o asfalto esburacado de rodovias e cidades. Os impactos de fim de curso são reclamações recorrentes dos compradores do PCX, principalmente, com garupa. Já o conjunto dianteiro, que usa garfo telescópico convencional, oferece curso de 100 mm e dá conta do recado.

Se a suspensão, em algumas situações, deixa a desejar o sistema de freios merece elogios. Na roda dianteira, o disco simples, de 220 mm de diâmetro, traz pinça de três pistões e sistema CBS (Combined Brake System), que combina a frenagem da roda dianteira com a traseira. Caso o piloto acione apenas o manete de freio traseiro (a tambor de 130 mm de diâmetro) parte da força de frenagem é distribuída para a roda dianteira resultando em uma frenagem mais controlada e eficiente.

Porém, o freio de estacionamento faz falta no PCX. Mesmo pesando somente 124 kg, exige que o piloto use o cavalete central, ou manobre em uma posição favorável ao estacioná-lo, principalmente em ladeiras.

O banco largo e a posição de pilotagem relaxada, como se estivesse sentado em uma cadeira, são fatores positivos para o uso na estrada – e também na cidade. Por falar em posição, os pilotos de baixa estatura e também as mulheres, devem fazer um test-drive antes de comprá-lo. Apesar de ser fácil de pilotar, a largura do banco não permite que os pés toquem o solo com facilidade, o que pode dificultar a vida dos pilotos iniciantes.

Conclusão
Como qualquer veículo de pequena capacidade cúbica, o PCX pode ser usado na estrada, porém exige cuidados do usuário para não atrapalhar o fluxo ao entrar na rodovia ou mesmo fechar outros veículos ao iniciar uma ultrapassagem.

Mesmo equipado com rodas de 14 polegadas (maior do que scooter menores), qualquer impacto com buracos representa um risco e pode desestabilizar o pequeno e valente scooter de 150cc.

Ainda que tenha limitações, scooters e motonetas são o meio de transporte de muitos usuários que encontramos pelo caminho. Quem mora à margem das rodovias e precisa se deslocar a outra cidade diariamente enxerga na economia de combustível e na praticidade desses pequenos veículos seus pontos fortes.

Tome como exemplo, as cidades catarinenses de Sombrio e Araranguá distantes apenas 25 km uma da outra. O ônibus de linha cobra R$ 9,11 a passagem (apenas um sentido) para percorrer o trajeto em 40 minutos. Usando o PCX, um motociclista pode percorrer a mesma distância em apenas 20 minutos e o custo do combustível é de apenas R$ 3,00. Segundo dados do Ministério das Cidades, em 2014 havia 5.581 motonetas emplacadas nas duas cidades. Gente que escolheu a praticidade e a economia do scooter, mesmo que use esse tipo de veículo fora do seu habitat natural.

Mas vale lembrar que para usá-lo na estrada é preciso investir em alguns acessórios fundamentais. Se você for trabalhar diariamente é aconselhável investir em um para-brisa maior, que oferece melhor proteção contra o vento, chuva e o mais interessante: ajuda a manter as roupas (principalmente a gola da camisa) limpas.

Outro item fundamental para quem pensa em ter um PCX é um baú (bauleto) para aumentar sua capacidade de carga. Embaixo do banco cabe um capacete fechado, mas é pouco espaço para quem o usará todo dia e transportará capa de chuva, galochas e outros equipamentos.

Ficha Técnica
Honda PCX 150 DLX
Motor: OHC, monocilíndrico, 153 cm³, quatro tempos, duas válvulas, arrefecimento líquido.
Potência: 13,6 cv a 8.500 rpm.
Torque: 1,41 kgfm a 5.250 rpm.
Diâmetro e curso: 58,0 mm x 57,9 mm.
Alimentação: Injeção eletrônica
Transmissão: CVT
Suspensão dianteira: garfo telescópico com 100 mm de curso
Suspensão traseira: sistema bichoque com 85 mm de curso.
Freio dianteiro: disco simples de 220 mm de diâmetro com pinça de três pistões e CBS
Freio traseiro: tambor com 130 mm de diâmetro
Pneus: Dianteiro 90/90-14 e traseiro 100/90-14.
Quadro: Monobloco (underbone).
Dimensões: 1.917 mm de comprimento, 738 mm de largura, 1.094 mm de altura; 760 mm de altura do assento; 1.315 mm de distância entre-eixos.
Peso a seco: 124 kg
Tanque: 5,9 litros
Cores: Branca perolizada e vermelha metálica
Preço público sugerido: R$ 9.423 na versão DLX (pintura preto fosco e rodas douradas)



Fonte:
Agência Infomoto
avatar
Domingos

Data de inscrição : 27/11/2014
Mensagens : 340
Idade : 64

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Citycom 200i

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum